16 julho, 2018

Análise do livro ''Ausentes'' de Stella Constantina



Um velho ditado defende que‘’a vida é 10% o que nos acontece e 90% a forma como reagimos.’’ Com  isto dito, percebemos que temos poder para criar a nossa própria realidade. Através da jornada de Sonhadora Compulsiva, uma jovem angolana de 26 anos, temas como a vida e a morte, religião e sistema de crenças são abordados na novela ‘’Ausentes’’ de Stella Constantina. Particularmente, a autora explora a perda e a forma como lidamos com a mesma; tomando como exemplo a protagonista que, ao perder o pai e o namorado, decide então escrever 13 cartas à morte para perceber o porquê da sua existência. Durante este percurso ela amadurece e ganha uma visão mais ampla sobre o mundo e a própria morte. Recorrendo a utilização de monólogos, reflexões e uso especial de pontos de interrogação, metáforas e personificação, a narradora leva-nos a uma viagem que nos permite descobrir que a beleza do mundo só é apreciada quando aprendemos a olhar com calma e a aceitar o ciclo de vida.

A dor de perder alguém especial, não passa; é apenas adormecida pelo tempo, mas permanece sensível à cada lembrança. A autora ressalta isso durante as reflexões de Sonhadora Compulsiva que, apesar de continuar a viver a sua rotina, lamenta a perda do seu pai e do seu amado ao confessar que ‘’as lágrimas correm, secam, esquecemo-nos delas, depois voltam sem aviso prévio, algumas vezes até com aviso, encharcam a nossa alma, inundam os nossos olhos e afogam-nos, consomem-nos por um tempo, e depois, novamente passam...’’ (P. 34). Em outras palavras, a dor da perda não chega e passa de repente. Pelo contrário, instala-se permanentemente mas não se manifesta todos os dias,  pois espera por gatilhos. Nesta passagem, devido a escolha de palavras e a construção frásica, percebemos que a dor da perda é um ciclo interminável que apresenta vários estágios. 


As pessoas lidam de forma diferente com a perda, enquanto algumas choram e afundam-se no luto eterno, outras encaram as perdas como combustível para aproveitar cada segundo de vida e honrar os que se foram. No livro, a protagonista passou por um processo de evolução; transitando de enraivecida e impulsiva à ponderada e sossegada, ela mesmo explica que passou a sentir ‘’medo, depois segurança e hoje consolo'’ (P. 127).  A sua evolução também é visível na forma como encara a morte ao longo do livro; primeiro como o pior de todos os males, o ‘’Deus da tristeza, da angústia, da dor e do medo’’ (P. 64 ) depois como ‘’bela, assim como a noite, misteriosa, fria, distante...’’ (P. 101). Nas suas cartas, a narradora também muda a forma de tratamento de Senhora Morte para Mor (sétima carta), alterando também a forma de tratamento de você para tu, o que indica intimidade. 
Diferente de Sonhadora Compulsiva, algumas pessoas lidam com a perda de forma mais trágica, ‘’inúmeras pessoas ficam deprimidas, desesperadas’’(P. 128) outras chegam a desistir da vida. Em outras palavras, a forma como lidamos depende da nossa compreensão sobre a morte. Quanto mais compreendermos e aceitarmos o processo, menos dolorosa é a vida pós-perda. Até porque nós somos uma extensão daqueles que perdemos, estamos aqui para dar vida à sonhos que não se realizaram e, de alguma forma, dar continuidade à missões que foram deixadas pela metade.


 Portanto, é importante celebrarmos a vida enquanto a temos. O luto faz com que fiquemos focados no passado ou que soframos só de pensar no futuro, pois buscamos lembranças ou visualizamos o vazio dos dias que estão por vir. No meio de tantos pensamentos, acabamos por nos esquecer de que não sabemos quanto tempo temos neste mundo e devemos aproveitar cada momento como se fosse o último; sem permitir que por ‘’preguiça, sono, ansiedade ou talvez por medo’’ (P. 79) deixemos de aproveitar o presente e apreciar as pessoas que estão ao nosso lado a precisar de um carinho, um gesto de afecto, uma palavra de consolo, um sorriso sincero, um abraço apertado. É importante percebermos que estamos vivos para cumprir uma missão e iremos cumpri-la, a não ser que (como na maior parte dos casos) as acções humanas façam-nos receber uma ‘’visita prematura’’ (P. 136) da morte.
Considerando os pontos anteriores, posso concluir que a novela ''Ausentes'' ilustra a influência das nossas experiências e da nossa visão sobre a morte na forma como lidamos com a perda. Enquanto alguns sofrem eternamente e chegam até a tirar a própria vida, a Sonhadora Compulsiva escreveu cartas à morte, na esperança de receber respostas para as suas questões; e passou de uma alma desesperada à uma pessoa consciente sobre a leveza de viver o momento e aceitar a ordem natural da existência.

15 julho, 2018

Em cada rosa que me entregava



Ao lado dele a vida era mais leve, as preocupações inexistentes e os medos insignificantes. Parecia ter a fórmula para retirar o peso das situações e torná-las mais amenas. Ele resolveu os meus problemas, abraçou-me quando fez frio e, em dias quentes, refrescou-me com os seus beijos suaves. 

Era feito de um cuidado tremendo, um senso de protecção surreal e uma tranquilidade que até assustava. Disposto a dar tudo de si, preencheu os meus vazios, limpou as minhas lágrimas e apoderou-se das minhas batalhas, usurpou-se dos meus demónios e idolatrou o meu corpo como se lhe tivesse dado a vida. 

Ao observar os seus actos, decidi encará-los como uma demonstração de amor desmedido, puro, incondicional. Pensei que ao cuidar de mim estivesse a mostrar o quanto me amava; mal sabia eu, que ele estava simplesmente a camuflar-se. Esconder-se do passado, dos seus pesadelos, inseguranças e fantasmas. 

Escondia-se nos meus vazios, nos buracos da minha alma, nas minhas lamentações; fazia de mim seu refúgio enquanto tentava reconstruir-se com os pedaços que o mundo fez de mim. Traduzia os meus pensamentos para que eu não lesse os dele, respondia as minhas questões para que não sobrassem linhas para as suas, remendava o meu coração para que eu não visse o dele ensanguentado. 

Pedia-me para deitar a cabeça no seu colo e contava-me histórias inventadas de um tempo que nunca existiu, eu fechava os meus olhos e ouvia com atenção enquanto ele reprimia as lágrimas que lhe visitavam os olhos e devorava cigarros para se livrar da frieza que lhe comia o peito. Matava-se aos poucos, enquanto tentava mostrar-me a beleza da vida. 

Admito, com remorso, que ele foi a minha cura... mas sinto muito que para isso tive de ser o seu veneno. Sinto muito por não ter estado atenta para ouvir seu pedido de socorro, por não perceber que não se recebe nada sem olhar para as mãos de quem nos oferece. 
Sinto muito por não ter percebido que as suas mãos sangravam em cada rosa que me entregava.

04 março, 2018

A menina, a mulher e a criança.



Ela ia todos os dias para o mesmo café. Sentava-se sozinha, na mesa do fundo. Gostava de estar longe dos olhares, dos comentários, das atenções. Todos os dias, ela pedia o mesmo chocolate quente. Sorria para o garçon e depois para si mesma. Estava num exercício de se amar mais. Por isso, acordava todas as manhãs e vestia-se da maneira que gostava de se ver... olhava para o espelho e elogiava a pessoa que via à sua frente: uma menina assustada, uma mulher inibida, uma criança perdida. Era bonita, sim, apesar de tudo isso. Era bonita por fora, ela sabia... mas precisava de recuperar a sua força interior, orientar a menina, empoderar a mulher, acolher a criança. Precisava de recolher todos os pedaços que perdeu ao longo do caminho e colocá-los no lugar, precisava de reconstruir-se. Todos os dias, sentada naquele café, ela fazia uma oração em silêncio para que nascesse em si um poder de afirmação.
O chocolate quente chegada. Ela sorria outra vez, primeiro para si e depois para o garçon. Bebia. Bebia e pedia que aos poucos a menina, a mulher e a criança se alimentassem e reconciliassem. 

20 novembro, 2017

Algo




Não me ames pelo que tenho a oferecer. Porque um dia isso escorrega-me das mãos. Não admires a capa, esta um dia irá envelhecer, empoeirada e apodrecida.
Antes de tudo, permanece ao meu lado pelo desconhecido. Abraça-me, movido por não sei o quê.
Não-sei-o-quê.
É isso que nos mantém vivos: A incerteza, a dúvida, o ponto de interrogação. Afinal, se fossemos conhecedores de todas as ciências, pelo que seria movida a nossa existência? Se tivéssemos todas as respostas por que nos cansaríamos neste ciclo vicioso que é a vida? Ama-me, sem saber porquê. Deseja-me, sem querer saber.
Vive, assim: A procura do que te faz querer ficar; A prolongar o toque e o beijo... A adiar a descoberta do adeus. Continua a olhar para mim, apaixona-te pelo meu sorriso enigmático, e observa-me a dançar com o vento... Conversa com a lua e pergunta para todos os seres do universo: ''Qual é o segredo? Ela não é tão bonita, nem tão inteligente, não é uma deusa. Mas... Hmm... Ela tem algo.''
Sim.
Algo.
O algo é que nos conserva.
O algo nos eterniza.

27 junho, 2017

Magia Negra ou O Mágico Negro



Ele saia todas as sextas, ao meio dia, com a pasta de documentos e o silêncio da culpa. Regressava todos os domingos, a noite. Ele regressava com o uivar da lua e a escuridão da inocência. Com ele, trazia o cheiro da Rua e o sabor de outros desejos, carregava uma imensa bagagem de outras pragas e promessas; a minha missão era desfazê-la peça por peça, prestando especial atenção em cada botão, cada bolso, cada vinco... As vidas, outras, que ele me trazia eram iguais ou piores do que a minha. Estas vidas, eram 7 e, matavam aos poucos a única que eu tinha.
‘’Um dia... Um dia vou embora.’’ Ele dizia para a Rua e eu dizia para mim mesma. Eram promessas vazias que repetíamos na esperança de nos fazer acreditar. Não sei se era por medo de encontrar algo pior ou por conforto de ter o suficiente; alguém para dividir a cama, comida quente na mesa e silêncios para alimentar a alma. A Rua acreditava nele, e esperava. Eu não podia acreditar em mim mesma, sabia que aquele dia nunca chegaria.
Como é que eu iria voltar para a casa da minha mãe? de que cor pintaria o meu rosto e que espaço iria encontrar para mim? A minha mãe, única, diria: Ele é como o teu pai, e o pai dele, e o pai dele... e o bisavó. Ele, como todos os homens, é o espectáculo da ilusão... e nós, como todas as mulheres, somos meras espectadoras.
A minha avó, insistentemente, recomendava que eu fosse para a província procurar tratamento... tomar banho de ervas, limpar-me das impurezas, livrar-me das pragas. Ela acreditava que era feitiçaria, magia negra, ‘‘Tô marido tá fitçado’’ Dizia.
Eu, perpetuava o meu silêncio enquanto esperava pelo dia. O dia em que fosse largar tudo e ir embora... mas o dia não chegava. O dia era cada vez mais distante e inalcançável. Os vizinhos, também, especulavam que era magia negra. Obra da Rua, a feiticeira... mas nunca se cogitou a possibilidade de ser ele o feiticeiro, o mágico... o negro!

10 novembro, 2016

Curso online ''Escrita Académica em 3,2,1''



Descrição do Curso
‘’Escrita académica em 3,2,1’’

É um curso online criado com o objectivo de providenciar ferramentas necessárias para desenvolver argumentos de forma simples e elegante, utilizando técnicas de escrita académica. O curso terá componente prático e teórico.


Público alvo

Alunos do ensino médio que pretendem melhorar a sua escrita em termos de geração de ideias, planeamento de parágrafos concisos e coerentes e estruturação de argumentos persuasivos.
Este curso NÃO É para alunos que pretendem aprender ortografia.

Metas
Ao final do curso cada aluno terá:
• Uma ideia clara do que faz um bom argumento;
• Uma mente criativa que rejeita o plágio;
• Ferramentas para auxiliar a escrita de redacções;
• Confiança em si mesmo e nas suas ideias.

Duração e forma
O curso terá duração de 5 dias úteis e será realizado por meio de facebook, skype, whatsapp ou e-mail.


Monitoramento

Todos os alunos que participarem do curso farão parte de uma rede de monitoramento. Deste modo, poderão contar com o apoio e feedback da instrutora para futuros trabalhos académicos.

Preço; inscrição; datas

A primeira edição do curso é GRÁTIS.
Preencha o formulário de inscrição: https://www.surveymonkey.com/r/3MNZRN3
Prazo para inscrição 13 de Novembro
Início do curso: 14 de Novembro

Sobre a instrutora

Rosa Soares é escritora, estudante, autora do blog ‘’Agridoce’’ e co-fundadora da Organização Omunga.
Autora dos livros:
·      ‘’Uma Versão Diferente da Vida’’ que publicou aos seus 17 anos; (Novembro de 2013)
·       ‘’Met(amor)fose’’ que publicou aos 18 anos. (Agosto de 2015)

-->
Actualmente, Rosa é estudante na Academia de Liderança Africana, uma academia em Johannesburg que visa formar a próxima geração de líderes africanos através de um programa único com foco em Empreendedorismo e Estudos Africanos. Na Academia, Rosa estuda Escrita e Retórica e Literatura Inglesa.  Saiba mais sobre a autora em: www.meuagridoce.com

23 setembro, 2016

3 maneiras de ganhar dinheiro na crise


Crises económicas são oscilações em torno dos negócios e da economia de um país. As mesmas fazem parte de um ciclo vicioso, podendo até serem previstas várias vezes.

Nem é necessário salientar a aflição que as pessoas passam em tempos de crise e o quanto é difícil manter-se estável diante dela. Infelizmente, a verdade é que crises sempre existirão, o segredo está na criação de oportunidades nesses tempos.

“Em época de crise, uns choram e outros vendem lenços.” – Anónimo

Para que se ganhe dinheiro em tempos de crise, é essencial termos uma visão e atitude empreendedora. Em outras palavras, é preciso sermos capazes de criar soluções independentemente da escassez de recursos.

É necessário uma mudança de perspectivas. Além de todos os transtornos causados pela crise, ela trás consigo diversas oportunidades, e nesse artigo tentamos trazer 3 maneiras que podem ser implementadas por qualquer um de nós.

#1. Educa-te
O teu valor não está naquilo que tu és profissionalmente, mas naquilo que tu és capaz de fazer. Por isso, aprende novas habilidades, expande a tua rede de relacionamentos, reestrutura os teus hábitos, e investe mais em ti mesmo.

#2. Economiza
Muitas vezes, as pessoas procuram soluções tão distantes para poderem fazer dinheiro em tempos de crise, que se esquecem de soluções tão simples quanto a redução de custos.

À partir de pequenas atitudes como o pagamento das dívidas, a compra de produtos mais baratos, a criação de um fundo para emergências, e a abstenção de algumas actividades custosas, qualquer pessoa será capaz de economizar muito mais e consequentemente ganhar mais dinheiro.

#3. Abre um Negocio
Primeiramente é necessário que tu procures por uma necessidade ou escassez no mercado. Em seguida, identifica a melhor forma possível para que esses problemas sejam solucionados.


Se tu conheces mais alguma maneira de ganhar dinheiro na crise, partilha connosco na secção de comentários abaixo!

DEPOIS DE 6 MESES DE TRABALHO. A EQUIPA DE COLUNISTAS 2016 ESTÁ A PREPARAR UMA ANTOLOGIA! VOLTAMOS EM BREVE!


12 setembro, 2016

Quem te inspira


Todos temos pelo menos uma vez na vida alguém que vem e que fica, que vem e muda, que vem e destrói suas antigas crenças, que te faz dessonhar alguns sonhos e planos e reescrever outro por cima, te vira do avesso, sacode e desmonta. Essa pessoa que fica nem sempre permanece ao seu lado, mas eterniza na memória, e é sempre uma recordação com sabor de saudade e cobertura de mel. Às vezes a participação dela é de um dia (e que dia), às vezes um mês, um ano ou uma vida, é relativo o tempo mas a relevância será indiscutível. Tudo aquilo que nunca morre dentro de ti é eterno, o que você aprendeu, sentiu, viveu e agradeceu. Se quando pergunta a si mesmo se faria tudo de novo ou se valeu a pena, e algo no seu interior responde que sim com um sorriso, você tem seu pedaço de eternidade.
Essa pessoa especial te ensinará coisas que os outros ao seu redor não foram capazes, porque terá uma chave de acesso ao seu coração e mente e apenas na sua voz aquele ensinamento terá sentido, é como uma música insossa que ao ser interpretada pelo cantor certo ganha uma dimensão tocante e surpreendente, porque de alguma maneira essa versão era a que te chega à alma e abraça e você nem acredita, mas é a mesma canção. Pode ser um amigo, um amor, um desconhecido numa conversa numa praça, pode ser um professor ou até um escritor.

Talvez você tenha a sorte de ter várias dessas pessoas no seu caminho, se reinvente e redescubra sua missão de vida N vezes, ou talvez essa única vez seja suficiente para deixar digitais no seu espírito e nunca haverá outro que possa apagar. Não posso te dizer que estarão juntos um dia ou todos os dias, ou que serão felizes para sempre, não há felicidade eterna na Terra, aqui somos desafiados a cair e levantar, a sorrir apesar do caos varrido para debaixo do tapete. Na vida temos que lutar e caminhar feridos, mas esse ser especial para ti verá sua queda e apanhará seu coração do chão, dará um beijinho para sarar (assim como sua mãe fazia na infância) e te devolverá ao peito com carinho para que sigas mais forte, ao menos por mais uns quilômetros.

Autora: Laine Ferreira

11 setembro, 2016

Quer emagrecer? Saiba por onde começar

Muitas vezes nos olhamos no espelho e nos sentimos insatisfeitos com o que vemos. Um dos maiores culpados dessa insatisfação é o nosso próprio corpo, mais diretamente falando, é o excesso de peso.

Só quem tem, sabe o quanto aquela gordurinha acumulada pode nos incomodar, e como dissemos, trazer uma enorme insatisfação.

Mas, sabe onde está o problema? Em você mesmo! Simplesmente porque você está insatisfeita com o seu corpo, mas não busca soluções. Que tal começar a pensar nisso com mais carinho?

Hoje nós viemos aqui para trazer algumas dicas de emagrecimento! Vamos falar algumas dicas para que você tenha sucesso no seu processo de emagrecimento.

O que fazer para conseguir emagrecer


Comece pela alimentação

A alimentação será o ponta pé inicial para o seu processo de emagrecimento. Afinal, a sua alimentação é justamente uma das maiores culpadas pelo seu sobre peso, então, nada melhor do que começar por ela.

O ideal é que inicialmente você dê mais atenção aos seus vícios, para depois começar a ter uma rotina alimentar 100% saudável. Se tratando de alimentação é essencial que você comece aos poucos.

No caso dos vícios, também é essencial que você os corte devagar, justamente para garantir que eles não voltem. Por exemplo, se você é viciada em tomar refrigerante, vamos supor que tome 3 corpos por dia, você não deve deixar de tomar esses 3 copos logo de cara.

No primeiro dia, tome dois, no segundo um, até que você consiga ficar totalmente sem. Mas, é essencial que você se esforce para que você consiga realmente cortar todos os vícios.

Acabou com os vícios? Então, agora é hora de focar numa alimentação mais saudável e de baixa caloria. Para que você encontre a alimentação ideal para você, nós indicamos a consulta de um profissional da área, mais precisamente, um nutricionista.

Reserve um tempo para gastar energia

você magra em 60 dias

Quando nós vamos falar de emagrecimento saudável, não podemos deixar de falar da contribuição que os exercícios físicos tem para nos oferecer. É possível sim emagrecer sem a pratica de exercícios, mas, se você contar com a ajuda deles, os seus resultados serão os melhores possíveis.

A explicação é simples: você tem muita energia para gastar e os exercícios são a melhor forma de gastar energia.

Toda essa gordurinha que está acumulada no seu corpo, para o seu organismo, funciona como um estoque de energia. Consequentemente, para emagrecer e perder toda a gordurinha acumulada, você precisa gastar energia, e é nesse momento que a contribuição dos exercícios surgem.

Não é segredo para ninguém que os exercícios são uma das melhores formas de gastar energia e por isso, se você quer emagrecer, deve inclui-los em sua rotina.

Nesse caso, é mais que essencial que você possua uma disciplina. O ideal é que você reserve um tempo diário para isso e não que você só pratique exercícios "quando der", senão, os resultados não serão aqueles que você tanto deseja.

Então, lembre-se, se você quer emagrecer, basta eliminar todos os seus excessos na alimentação e começar a possuir uma rotina mais ativa. Não tenha dúvidas que os resultados aparecerão.

É isso aí pessoal! Espero que tenham gostado, beijos!