27 maio, 2013

Só por isso.

As coisas aconteceram tão rápido que nem tive tempo de processar toda essa informção. Passei da pessoa que precisava de amor para a pessoa que trocava amor. Eu dava e recebia.

A minha cama que era tão vazia, foi preenchida pelo teu corpo caloroso. O meu quarto que era tão escuro foi iluminado pelo teu ser. Faço de tudo para que essa luz não apague, já não sei andar no escuro como antes. Tenho medo de tropeçar e ferir o joelho, pior ainda, ferir o coração!

As minhas mãos tremem de insegurança, é perigoso ter algo tão precioso, e se cair? E se partir? Pego-te com cuidado, levo-te para o meu quarto. Tu notas o nervosismo no meu rosto e perguntas o motivo.
''É porque eu te amo moço. Só por isso.''

Dás-me um beijo amoroso e convidas-me para deitar contigo na cama. Eu aceito, porque tu fazes com que eu sinta-me viva . Vivemos um no outro e ganhaste o meu corpo de todas as maneiras possíveis. Depois de venceres, tu não viraste as costas como a maioria faz. Tu abraçaste o meu corpo e foste mais fundo, foste até a minha alma e me fizeste contar-te alguns segredos obscuros, muitos medos absurdos...  Falei até coisas que não devia, e num momento tu levantaste da cama, pensei que fosses embora, julguei que como os outros não aguentaste descobrir quem eu era de verdade. Chorei. Tu olhaste para trás e disseste:
'' Vou ao quarto de banho e já volto''. Eu sorri aliviada.
''O que foi?''
''Pensei que fosses embora.''
'' Eu não posso ir embora.''
''Não?''
''Não.''
''Porquê?''
''Porque eu te amo moça. Só por isso''.