17 outubro, 2013

Minhas pequenas instruções.

 
Não deves fingir sentimentos, nem deixar conversas ao meio...
Não deves adiar as coisas para ''um dia'' e nem deixar que o tempo trabalhe por ti.

Deves deixar tudo em pratos limpos, respeitando a boa e velha gramática, colocando os pontos nos ''is''.

Quem gosta quer ver bem, quem gosta quer ser gostado. Ah, é muito bonita esta conversa de amar sem esperar retribuição mas eu não concordo. Amor... é algo que precisa ser alimentado, normalmente comparo com as flores, precisam de cuidados diários senão morrem. Não podemos exigir o amor de ninguém mas eu exijo atenção, respeito e o mesmo carinho que dou.

Não deves calar de primeira, não deves aceitar tudo.
Quando alguém que tu gostas vai pelo caminho errado, conversa, grita, ofende, faz qualquer coisa mas mostra-lhe o caminho certo e só desistas dela quando mesmo depois de mostrares todas as opções ela escolher seguir o erro. Afinal, quem ama também se cansa. Quem ama também pensa! Alguém meteu na nossa cabeça que o amor é cego mas não é. O amor é visionário, ele olha para frente, a volta e para dentro, o amor só pensa no passado para não repetir os mesmos erros, o amor é inteligente. Cega e estúpida é a paixão.

Não escondas as coisas por medo de magoar alguém.
Segundo a Wikipédia: ''O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente.'' O facto de existir medo é porque de alguma forma esta pessoa é importante para nós, caso contrário haveria simplesmente indiferença. Guardar as coisas para não magoar a outra pessoa é fazer um mal terrível a ela, porque esta vai fantasiar coisas e viver num mundo contigo que não existe para ti. Um dos sinónimos de medo é preocupação e quem se preocupa quer o bem... Quem gosta quer o bem... O segredo está na tua forma de falar e se relacionar. Delicadeza é a chave.