17 novembro, 2013

''Tu podias ter sido feliz... Se não tivesses este medo infinito da solidão. Se vivesses mais a tua vida do que a dos outros. Tu podias ter sido amado... Se antes amasses cada pedaço teu. Tu podias ter sido compreendido... Se tentasses compreender. Tu podias ter vivido... Se não passasses cada segundo a pensar no futuro. Tu podias... Sim! Eu também podia ter sido tudo isso, se não passasse a vida a apontar os teus erros. Nós podíamos nos desprender deste pretérito imperfeito do indicativo. Nós podemos.''