15 abril, 2014

Como tinha que ser

Entrego-te o meu coração, mesmo sem pedires. 

Tu és mais uma obra do famoso destino, apareceste na minha vida de forma inesperada com conversas inventadas, sorrisos roubados e alguns olhares de cobiça. O que cobiçavas? Tudo. Não era só o meu corpo, tu querias-me por inteira e aceitavas de bom grado  toda a imperfeição que eu tinha para te oferecer. Dividiste-me em pedaços para ir devorando com o tempo, no meio dos nossos diálogos tu me interrompias e dizias: "Não fala mais nada, guarda para amanhã." Tu tinhas medo que um dia a nossa intimidade chegasse ao fim, eu tinha medo de saber tanto sobre ti a ponto de já não te achar interessante. Continuamos a caminhar, guardamos o medo no bolso e deixamos o famoso que nos uniu nos guiar..."Leva-nos! Mostra-nos o nosso lugar." Sempre estiveste ao meu lado mesmo quando te afastaste do mundo, sempre te aceitei mesmo quando não te entendi, sempre voltaste para mim mesmo quando eu fugi de mim. És meu e sempre foste, sem posse, sem obrigações, sem justificações. És meu porque sim e eu sou tua porque é assim que tinha que ser!