29 junho, 2014

Será que esperar impede-me de aproveitar?



Vejo-me perdida entre a vontade de crescer, o desejo de voltar no tempo e o êxtase de ser para sempre adolescente. Eu tento acreditar que cada fase da vida tem o que é melhor para nós, cada ano é recheado de momentos para recordar, tanto por sorrisos ou por lágrimas, por danos ou lucros. 
De uns meses para cá, meti na minha cabeça que o presente é a única coisa que importa, não posso me preocupar com o que não posso mudar, o passado já se foi e o futuro ninguém sabe como será. Por outro lado, quero muito crescer já e viver a minha vida, ser mais independente e ter carta branca para conhecer todos os lugares que quero, viver todos os momentos que imagino e aprender com cada alma que cruzar a minha vida, enriquecer com cada museu visitado, cada monumento, cada história ouvida. Uma coisa que eu não quero é perder a esperança no mundo, não quero viver por obrigação, não quero continuar porque os outros esperam algo de mim. EU QUERO VIVER. No verdadeiro sentido da palavra, quero sentir o vento no meu rosto, sentir a areia, a água do mar nos meus pés, quero ouvir palavras e receber declarações de amor, quero demonstrar o quanto amo a minha família, os meus amigos e até mesmo estranhos que conquistarem um pedaço do meu coração. Também tenho saudades do tempo em que era criança, que não percebia este mundo de loucos, que não via maldade em nada e tudo era novidade, tudo era doce, tudo era puro. Como cantou Enock: ''Tenho saudades dos tempos em que era miúdo e não conseguia enxergar certas coisas, tipo ver que trocamos coisas boas por coisas novas.''
Gosto da fase que estou a viver, é bom desabrochar, mas é estranho, é confuso. Estou a tentar acreditar que a adolescência não é a melhor fase da minha vida, para não me sentir forçada a fazer o que os outros fazem. Tchilar todos os fins de semana não me faz mais adolescente do que quem fica em casa e ficar em casa não me faz uma santa ou uma velha. É tudo relativo, subjectivo... É tudo muito estranho. Mal posso esperar pelos anos que se aproximam, algo me diz que serão os melhores da minha vida. Mal posso esperar para começar a faculdade. Mal posso esperar. Será que esperar impede-me de aproveitar? Não sei, não sei.
Enfim... Tenho agradecido por estar viva!