19 agosto, 2014

Texto de Carla De Castro Paiva: É preciso saber


Charles Aznavour na sua música 'il faut savoir', expressou  que é preciso saber.
Entre determinadas coisas que me chamaram à atenção, ele disse (Il faut savoir encore sourire quand le meilleur s'est retiré" (É preciso saber ainda sorrir quando o melhor se retirou). E agora eu pergunto: 
— Charles, mas e ele ? Ele que é o meu melhor e na sua ausência eu estarei no meu pior? Como poderei aprender a sorrir sem tê-lo comigo? Será uma longa lição a ser aprendida, isso se eu a aprender.

Ele, és tu, meu amor.
O que é verdadeiro é intenso e é real, assim como este amor que carrego por ti. Verdadeiros somos nós, juntos, expressando o nosso amor, sorrindo um com o outro, trocando caricias, declarando sentimentos, vontades e sonhos, são os nossos planos, nossas parvoíces, nossas lágrimas repentinas, a tua cabeça no meu colo e minha mão em teu cabelo, a minha cabeça em teu ombro e tua mão entrelaçada na minha. Porque vem do mais profundo de nossos corações, é VERDADEIRO. Mas então, e as nossas discussões sem razão, e o nosso orgulho errado, nossos ciúmes absurdos, e nossas palavras não pensadas, e todas as nossas diferenças quase insuportáveis, e as nossas contradições? Há quem diga: "São apenas altos e baixos, tenham calma" mas então, amor, por nos amarmos seria preciso aceitarmos os defeitos um do outro apenas na esperança de nos tentarmos moldar, sim, posso não amar os teus defeitos, continuo a amar-te com eles, mas eles nos afectam, nos magoam, nos fazem mal, e nos "altos e baixos", esses baixos nos separam e isso não é "apenas". Estar sem ti não é "apenas", como algo simples e normal e que da noite para o dia "vai passar".  
— Como posso ter calma e sorrir? Charles? Really?   

 (momento de silêncio).




Se nos amámos por que é que não ultrapassamos todas as dificuldades que temos? Então não me amas? Ou será que eu não sei o que é amor e estou a confundir o que sinto? NÃO! Eu amo-te. Tenho a certeza que te amo, sabes o que se passa? É que uma relação não depende só do amor, depende também de aceitarmos os erros e defeitos do nosso parceiro, saber pedir perdão quando necessário, conversar sobre tudo, abrir o nosso coração sempre que sentimos necessidade seja para falar de amor ou de dor, é compreender o lado do nosso parceiro, é nos pormos no lugar dele, é respeitar a opinião do nosso parceiro mesmo quando não concordamos, é aperfeiçoarmos as nossas qualidades e diminuir os nossos defeitos de modo a nos enquadrarmos ao que agrada o nosso parceiro, sim, é isso mesmo, temos que mudar, abrir mão de algumas coisas nossas pelo nosso parceiro, eu não sei se o que disse está dentro do que é AMOR, não sei se há algum erro, mas o que está aqui em questão, somos nós, EU E TU, e no meu 'eu', assim eu defino o amor que eu queria pra mim, entre nós. Não é justo nos amarmos e não estarmos juntos, ou não tem mesmo como estarmos juntos independentemente do que sentimos? Nós nos merecemos, sim... Achas que eu mereço melhor? Ou eu, acho que mereces melhor? Nada disso, eu penso da seguinte forma: "Nunca se ache insuficiente para a pessoa que te ama, porque se te ama é porque você a conquistou e se você a conquistou é porque você a merece.", enquanto nos amarmos, nos merecemos, se um dia por acaso esse amor deixar de existir, ok, talvez aceite que não nos merecemos, mas hoje, pelo menos, eu posso dizer de boca cheia que duvido que esse amor acabe. Então, amor? Por que é que não fazemos funcionar? Ai que coisa deprimente, que agonia... Porque acabou, sim, já não estamos juntos outra vez e mesmo te amando tanto, o meu coração está exausto desses "baixos" que chegam ao ponto de nos separar... Sim! Talvez o Charles tenha razão, mas saiba que TE AMO e seria fantástico que ambos não víssemos esses baixos como o beco sem saída, mas ok, ok, já está feito.. já não estamos juntos, ACABOU! certo? É triste e dói, duas pessoas que se amam separadas por... Porquê mesmo? Nem eu sei, só sei que dói... Então , Charles, é isso mesmo.. terei que sorrir agora que meu amor se retirou da minha vida.

***




NÃO PODE SER! Minutos depois, ao ouvir a música presto atenção ao último verso, onde Charles diz: "Mais moi, je t'aime trop (...) il faut savoir mais moi, je ne sais pas" (Mas eu, eu te amo tanto (...) é preciso saber mas eu, eu não sei).

— Querido Charles, agora sei que não sou a única que se tenta enganar... LOL. Obrigado por me compreenderes, é preciso saber muita coisa triste e difícil de se fazer para seguir em frente sem o nosso "meilleur."

Em mente temos que é o fim, mas o nosso coração não corresponde e acabamos por confessar mais tarde ou mais cedo, eu confesso que é preciso saber mas eu não sei, meu amor. Eu não sei e nem quero precisar saber como sorrir se te retirares da minha vida, talvez seja preciso mas "je ne sais pas" , porque não te quero fora da minha vida. Neste momento não acho que seja a solução pra nós, quero muito que penses da mesma forma, que não nos podemos retirar da vida um do outro porque o nosso sorriso depende um do outro, sim, o meu sorriso depende de ti, e nos amamos, não é? 
 - bien, amm.. tu ne vas pas te retirer?

(Mensagem entregue)

17, Janeiro, 2014 em Lisboa
        
***




Faz hoje 3 anos que lhe escrevi, e ele não me respondeu, eu tive que me focar apenas em "il faut savoir encore sourire quand le meilleur s'est retiré". Obrigado pela dica, Charles.
Meu suposto amor, onde quer que estejas, quero que saibas que saibas que te amei muito, mas foi preciso eu me dar conta que o meu amor e a minha força de vontade de lutar por nós não era suficiente. Não percebo porque não me respondeste e preferi acreditar que já não me amavas..
Estou nas ilhas Maurícias, onde planeávamos passar a nossa lua-de-mel, e olha só, vim com minha melhor amiga exactamente para uma espécie de despedida de solteira, vou casar-me daqui a um mês e decidi aproveitar as últimas semanas de solteira neste paraíso na terra. Estranho não é? Devia estar a organizar o casamento, certo? Pois, mas lembras-te que eu sonhava casar-me na praia, só com os mais próximos e sem grandes comes e bebes? Sim, casamentos assim não dão muito trabalho, o vestido está comprado, já se alugou a tenda para o grande dia e algumas cadeiras para os mais próximos, terá alguns petiscos, refrigerantes e pronto.. E não, a minha lua-de-mel não será aqui. É isso. Este é o meu adeus.. Retiro-me.

(Palavras escritas numa folha de papel, posta enrolada numa garrafa e lançada ao mar).

17, Janeiro, 2017 

Em Ilhas Maurícias.

Charles Aznavour (Paris, 22 Maio 1924) é um cantor francês de origem armênia, também compositor e actor.