23 abril, 2016

Estou a desaparecer aos poucos

Autora: Aurea Assiduo

"Estou a desaparecer aos poucos, a reduzir-me a pó. Quase transformo-me em nada, esquecendo-me de tudo enquanto me livro de todos. Apenas deixo as minhas pegadas na areia, a minha marca na atmosfera."


Estou a desaparecer aos poucos.
Estou a seguir um caminho sem volta, desconhecido mas preciso.
Estou a despedir-me dêem-me o adeus merecido, sejam a minha criptonita e acabem com todas as minhas forças.

Estou a desaparecer aos poucos.
 Vêem-me a evaporar ao vento e a emigrar para o deserto.
Estou a entrar em desalento, a procura de um amparo.

Estou a desaparecer aos poucos.
Resgate-me quem ainda puder.
Já não me resta nada, senão esse vazio.
Essa dor enorme que sustém o meu coração e absorve todo o oxigênio de minha alma.
Praticamente encharcada da lama da última tempestade que arrazou com a minha existência.

Estou a desaparecer aos poucos.
Cansei desse sofrimento.
Agora sou eu quem me desapego, me livrando de todo o peso, e seguindo em passos largos.
Estou a desaparecer aos poucos!!