18 abril, 2016

Hip Hop: O espírito universal da era de aquários

Autor: Isis Hembe

Quando parecia que as sociedades haviam congelado no meio dos edifícios de concreto, onde havia um abismo que dividia a educação artística das comunidades mais carentes, surgiu, então, esse movimento cultural: Hip hop
O Movimento Hip hop, numa definição livre, é a reunião de manifestações artísticas  como o grafite, breakdance, dj e mc. Essas quatro manifestações vêm para dar liberdade de expressão aos povos dos subúrbios e não só, de forma que cada membro da cultura se sinta habilitado a partilhar as suas vivências a partir de si mesmo.
É ali onde o Movimento incorpora todos os valores da era de aquários, renovando perspectivas e integrando populações à margem da senda de produções artísticas relevantes. E foi assim que, ruas das principais metrópoles do mundo viraram telas das mais refinadas artes plásticas; discos de vinil e mais um equipamento básico de som para festas transformaram-se em instrumentos musicais; palavras viraram ferramentas para divertir, informar, conscientizar, afirmar um modo de vida e etc; um computador transformou-se num potencial estúdio musical (obviamente que a qualidade sonora pode ficar aquém de uma produção mais convencional, no entanto, com esse recurso, muitos produtores se aproximam a essa qualidade). O hip hop foi o responsável mais vistoso para um refrescamento que a cultura mundial precisou passar. Remodelando as maneiras de praticar as artes mais tradicionais e desafiando o estatuto de toda indústria de entretenimento.
Mc– Uma sigla que significa literalmente mestre de cerimónias, é o elemento do hip hop que se encarrega em conectar o público com a parte musical do hip hop.

Conhecida como RAP (Ryhthm and poetry- Ritmo e poesia), essa parte musical pode ser subdividida em duas partes: a parte performática e a parte de produção.
A parte performática é tradicionalmente dividida, no mínimo, em duas partes: DJ e Mc
A parte da produção é constituída pelo MC e o Produtor, esse último se propõe a compôr os instrumentais. O Dj é responsável pela base musical (geralmente na parte performática), funcionando como a banda musical colocando a parte instrumental e intercalando com misturas musicais combinadas com scrash  que é marca dos djs especialistas em hip hop.

B-Boys- é o elemento que usa o corpo para se expressar por meio de coreografias.

Graff writer- é o elemento que usa as cores. Expressando-se, maioritariamente em ambientes a céu aberto como em muros das metrópoles.
 
Para além do lado artístico, o hip hop também se destaca como um movimento com grande engajamento social, tendo nos seus eventos o cuidado de sempre conscientizar o público a respeito de temas de interesse comunitário.