25 maio, 2016

Mobilidade tecnológica afecta o bem-estar das pessoas


Autor: Bernardo Martins ''Népias''

A mobilidade tecnológica é certamente dos maiores ganhos registados no mundo, face a dinâmica das sociedades, com vista a agilizar o rápido acesso a informação independentemente da localização.
Esta necessidade é inegável, quanto a necessidade das pessoas conectarem-se às redes sociais e outros chats, a partir de dispositivos moveis nomeadamente, tablets e smartphones.
Pois bem, como tudo isso afecta o nosso bem-estar?
Vejamos por exemplo: não é necessária muita ciência para perceber que, nos dias de hoje, muitas são as pessoas andam pelas ruas, táxis etc, de cabeça baixa e olhos fixos nos dispositivos moveis, descurando todos os eventos que ocorrem ao seu redor. Será este, um dos desafios da socialização na era tecnológica? Certamente…
Especialistas afirmam que frequentemente as pessoas se distraem ao telemóvel durante a travessia, a condução, mesmo que em cima do cruzamento de vias, aumentando o risco de ocorrência de acidente. Pode-se diz que por estimativa, as pessoas que acedem o telemóvel durante a caminhada, demoram mais tempo do que a média para fazer a travessia; são inclusive mais propensos a ignorar a presença de sinalização e viaturas em movimento, bem como qualquer procedimento a ser observado…
Segundo o site olhar digital: “Em Nova Jersey, nos Estados Unidos, andar e digitar pode se tornar crime muito em breve, com multa de até 50 dólares e até 15 dias de prisão”.
A aplicação de medidas punitivas será um exagero?  Deixe ficar a sua opinião.