02 maio, 2016

Não nasci para ser segunda opção; nem a primeira

Autora: Vanessa Neto

Não quero ser a tua segunda opção, mas também não nasci para ser a primeira. Não quero ser o "escape" perante alguma situação, uma falha tua ou algum imprevisto da tua vida. Quero ser a tua escolha merecida.
Escolhas não levam a "escapes". Então, não quero ser a tua primeira opção, como quando está um dia de inverno: acordas, pões os pés no chão e ao sentir que este está demasiado frio, as tuas pantufas puxas imediatamente. Elas são a tua primeira opção quando está frio... mas devia eu estar feliz se estivesse no lugar delas? Não! Elas são apenas uma opção; procuras-nas apenas por alguma razão: quando está frio. 
Não quero ser esse leste na tua vida. Quero ser o teu norte, a direção que te faz mirar sempre no mesmo sentido e nunca te sentes perdido, necessitando de um " escape", alguma saída.
Quero ser a tua escolha. Uma escolha merecida. Não quero ser a tua segunda opção, como quando não encontras as pantufas e calças os chinelos de seguida. Não estás tão bem com eles, mas servem-te para alguma coisa.
Não me enquadro neste tipo, sou bastante complexa para me quereres por apenas um biótipo. Queira-me por completo, deseja-me inteiramente, ama-me incansavelmente, faz de mim a tua escolha, a tua merecida escolha... como quando vais ao shopping, só para comprar aquele tipo de meias quentinhas fora de época que adoras e não dormes sem. Tu vestes-nas todos os dias, faça frio ou calor. É de ti, dormir de meias, um vício.
Então que seja de ti amar-me por completo, amar-me inteiramente e não numa só extremidade.
Que seja eu uma escolha tua, e não a tua primeira opção diante um fracasso ou uma verdade azeda e crua.
Quero caminhar sempre contigo, no mesmo compasso; sentir-me segura, mesmo sem estar agarrada ao teu braço. E não estar à deriva, a espera do teu fracasso para então poder entrar em ação.

Olhe bem para mim, mas olhe bem; com os olhos de dentro, para que possas ver com clareza, o meu ser articulado por vários enlaces. Não quero ser a tua primeira opção; nem a segunda, mas também não quero ser o teu vício, só quero que seja um ritual chamar por mim, alguma "voz" no teu coração.