23 junho, 2016

Artistas africanos da velha-guarda que não devem ser esquecidos

Vivemos num continente em que a produção cultural em geral e a musical em particular são muito presentes no nosso dia a dia. Se formos a olhar para os grupos étnicos que são mais conservadores a nível cultural, perceberemos que é, praticamente, impossível dissociar a música da vida das pessoas. Por esse motivo, é bastante comum vermos em nossos quimbos, as nossas mamães – conforme são carinhosamente chamadas as matriarcas das famílias angolanas – a cantarolarem enquanto pisam o milho para transformá-lo em farinha para o “matete” no pequeno almoço.
Essas atividades, quase sempre feitas à beira do rio, são executadas em grupo, formando assim um verdadeiro grupo coral daquelas mulheres trabalhadoras.
Com os homens não é diferente. Nas atividades de caça, também feitas em grupo, em algumas localidades se criam autenticos grupos corais e a atividade do canto se alastra pelo dia todo em todos os dias, com ênfase em cerimonias especiais, como rituais de iniciação por exemplo.
Portanto, é totalmente natural que haja muita musicalidade entre os africanos. Porém, quando confrontados com a nossa história musical na nova geração especula-se que há pouco conhecimento. É, provavelmente, mais fácil citarmos clássicos da MPB (Música Popular Brasileira), R&B, Blues, Jazz, como influencias do que citarmos um dombolô, kiapanga, Soukous ou mesmo o recente Kwato.
Tudo porque há pouca divulgação nesse sentido. Nesse contexto, o blog MeuAgridoce oferece aos seus leitores algumas sugestões para instigar o nosso senso de pesquisa.

1 – Oliver N’goma (23 de Março de 1950 – 2010), foi um cantor e guitarrista gabonês, também conhecido por Noli, cantor que se consagrou nos estilos musicais como o Zouk, e Soukous, foi das maiores referencias dos finais do anos 80 e princípio dos 90. Um dos seus sucessos foi o Icole, uma das músicas que massificou o Zouk em África


2 – Brenda Fassie ( 3 de novembro de 19649 de maio de 2004), foi uma cantora Sul Africana que se tornou popular ao ser protagonista de grandes hits do afropop dos anos 90. A cantora também foi referencia cultural na qualidade símbolo contra o apartheid 


3 – Luke Dube (3 de agosto de 1964 - , 18 de outubro de 2007) foi um cantor de reggae sul-africano, que tinha forte apelo político e de consciência que se tornou, praticamente, o único que “rivalizava” com o Bob Marley no sentido de dividir preferências


4 – Papa Wemba (14 de junho de 1949Abidjan, 24 de abril de 2016) foi um cantor congolês de Dombolô, e World Music. Um dos cantores com mais popularidade e muita influencia pelo mundo a fora. Que esse ano deixou consternação a todos apreciadores da sua arte pelo mundo a fora.


5 – Teta Lando (2 de junho de 1948 - Paris, 14 de julho de 2008) Foi um cantor angolano de estilo muito particular que eu, usando alguma liberdade de criação, direi que seu estilo era um bolero africano.


Mas para não ficarmos só na homenagem aos mortos, vamos homenagear também os vivos:
1 - Youssou N'Dour é um compositor e interprete senegalês com um estilo muito próprio que o fez romper todas as barreiras geográficas. Fazendo hits internacionais de grande impacto na cultura popular como esse que apresentamos no link


2 – Felipe Mukenga (Luanda, 7 de Setembro de 1949) é um cantor e compositor angolano. Dos cantores angolanos da antiga geração que mais é citado como influência para nova geração. Por sua visão universalista de compor, ao lado de Andre Mingas( outro que vale apena pesquisar).


3 – Salif Keita é um cantor maliano nascido em Djoliba a 25 de agosto de 1949, apelidado como a voz dourada de africa, tem um timbre e uma composição muito peculiar, e na música que apresentaremos ele divide o microfone com outra diva que jamais será esquecida Cesária Évora.


4 –  Dibango saxofonista e vibrafonista camaronês nascido em 12 de dezembro de 1933 é um músico de grande reputação, provavelmente o instrumentista africano de mais impacto mundial


Por último temos o Lokua Kanza:
4 – Lokua Kanza ( Bukavu, 21 de abril de 1958) é um cantautor e arranjador congolês. Que conseguiu palmilhar por todo mundo graças a um talento sofistica e genuinamente africano.


Obviamente que a música africana não se esgota em um blog, por isso fica o convite para a exploração do tema. O MeuAgridoce garante-vos que não haverá arrependimento.

Autor: Isis Hembe