14 junho, 2016

Duas noites de amor

Hoje tivemos mais um dos nossos melhores momentos, mais uma noite em que te amei, e juro-te... juro-te por tudo, que foi tal e qual como desejei. Foram duas noites de amor, mas eu amei-te sozinha, conversei com a dor e levei chibatadas do meu próprio prazer.
Foi o castigo que recebi por ter amado alguém, sem ser amada. Eu estava sozinha, mesmo estando junto a ti. Não senti a tua presença, era só o teu corpo a devorar a minha alma, peça por peça. Senti como se me tivessem descascado na primeira noite, e agora sinto-me completamente despedaçada. Já se foram todos os meus melhores pedaços, aqueles em que guardava por ti os meus grandes afectos... mas ainda restam, restam alguns bons bocados; e são estes que preciso de guardar para quem vai chegar e estiver disposto a amar-me no verdadeiro sentido da palavra. Para mim não foram duas, foram quatro, foram seis, foram dez e até mil e uma poderiam ser... porque eu amei-te intensamente, amei-te um bocado e mais um pouco. Amei-te no verão, na primavera, no outono, no  inverno; amei-te ontem e agora, amei-te um milhão de vezes em uma noite. Amei-te vezes sem conta, é um número incalculável que já me põe doida. Amei-te em duas noites para me puderes amar. Doei-me por completo para te poder fazer o homem mais feliz do mundo. Uau! "O homem mais feliz do mundo'' O meu maior  foco quando te conheci, não era ser a mulher mais feliz do mundo, mas fazer-te o homem mais feliz do mundo; e isso mexeu muito comigo. Mexeu e ainda mexe no interior das minhas veias e faz-me agir contra a minha própria natureza. Nem o teu olhar disfarça a completa satisfação que vai no interior da tua alma. "Só não percebo porquê  que o desejo e o amor não andam sempre de mãos dadas" Que andassem! Porquê me disseste isso? Lá tenho eu alguma culpa desses estranhos "senhores" não estarem em sintonia connosco?!  O nosso maior erro foi ter tentado escrever a palavra  A M O R  por cima da palavra atração. Rais parta o amor! Onde andas tu, maldito sentimento que não se quer fazer presente? 
Cada acto de amor é uma doação da própria alma. Por isso é que se deve amar apenas a quem realmente se ama; é uma troca de sentimentos e vibrações. Ninguém arranca pedaços, apenas se doam e se completam, enchendo pouco e pouco cada espaço. Quando  contrário, vai esvaziando arrancando um do outro pedaço a pedaço.

Essa foi a minha grande luta desde que te conheci: tornar-te o homem mais feliz do mundo. Seis meses se passaram e tu não sentes nada por mim. Decidi entregar-me e tudo continua igual. Amei-te outra vez. Amei-te um milhão de vezes em duas noites. Duas noites de amor, duas noites de meros momentos de prazer e nada mais. Amei-te até naquele momento em que adormeceste. Amei-te um milhão de vezes em duas noites para me puderes amar. E tu? Quantas vezes mais precisas de me ter, para que me possas amar ? (...)

Autora: Vanessa Neto