19 julho, 2016

A química do amor‏


Somos movidos por alguma ligação covalente
que faz de nós uma perfeita mistura consistente
mas não diluente;
se assim fosse, o meu amor estaria nela, pouco presente

haveria  menos de mim, menos de ti, menos do nosso sentimento
mas para te amar, nada me importa te amar em diluição
amar-te pouco, amar-te com vírgulas e pontos
prefiro amar-te numa forma concentrada, na forma mais pura,
embora que desajeitada

mas sei que desse amor, não se subtrai nada
Prefiro amar-te assim, o nosso amor torna-se mais consistente
consistente na dor,
consistente no amor
consiste em tudo que nos aproxima e faz de nós um só

E olha que o nosso amor não fica por ai
numa incrível oxidação sofrida
que nos reduziu a um, tornando-nos num perfeito nó
 as nossas vidas mais coloridas,
ou talvez muito
talvez muito coloridas

uma perfeita combinação do azul do céu
que não pode ser feliz sozinho, de tão lindo
com o amarelo, que nos torna verdes
verdes de viver
Com esperanças,
mas sem esperanças de uma história com um final feliz
porque se houver final, é porque houve fim

Então não vamos viver uma história,
vamos viver a  química
a química que fez acontecer o nosso amor

onde "nada se perde, tudo se transforma".

Autora: Vanessa Neto