04 julho, 2016

É preciso ter fé


Eu quero parar de me esconder, de fingir que está tudo bem e que já superei a tua partida. Desde o dia  em que te foste sinto que a minha vida mudou, as coisas pararam de fazer sentido, meus escritos já não existem porque tu eras a fonte de inspiração para eles, o som da minha voz tornou-se num leve sussurro.
Quando chega a noite a dor aumenta, o vazio multiplica-se e o choro vem em desespero. Sonho com o nosso reencontro a cada segundo e me encho de esperança, derramo as minhas lágrimas agarrada as tuas fotografias... E logo amanhece e o sol invade o meu ser me mostrando que posso mais e que o choro também é um caminho em direção ao reencontro eterno ao "milagre da vida".  Porque a saudade é cruel e a angústia devoradora, mas a minha fé no reencontro é maior. Essa fé que aprendi contigo e que hoje me mantém em pé.  Não posso fugir do meu luto pois sei que as lágrimas e a tristeza que sinto agora são necessárias para limpar a minha alma e me preparar para o melhor. A dor um dia vai passar e as lembranças manter-se-ão intactas, e quando Deus permitir minhas lágrimas serão apenas doces lembranças porque "O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade.
Salmos 9:9.''

Autora: Aurea Assíduo