11 julho, 2016

Quero ser mulher troféu


Que me desculpem as feministas extremistas, mas o bom mesmo é ser mulher troféu.  E digo mais, não qualquer troféu, merecemos ser a Taça da Copa do Mundo de Futebol,  de Roland Garos, de Winbledon, das Olímpiadas, ou ainda melhor aquele cinturão dourado e brilhante do boxe. Me explicarei melhor...

Os troféus e medalhas não aparecem nas estantes por acaso, quem tem um mereceu o prêmio, e principalmente nos esportes, onde os atletas treinam até os limites do corpo e mente, até a completa exaustão diariamente, por anos e anos a fio, com determinação e foco inabaláveis. Os merecedores dedicaram-se com uma garra que poucos têm ou teriam, devido o enorme custo pessoal da empreitada, mas no final saíram vitoriosos. E em alguns esportes como o boxe, não basta ganhar um ano, se não continuar treinando e se superando a cada ano simplesmente perde o título para alguém melhor e ponto.

Todos deveriam ter a pessoa que está ao seu lado como algo a ser cuidado e zelado, ter orgulho de ter esse alguém com você e carregar a certeza de que o mérito de poder andar de mãos dadas é seu, não por posse, mas sim satisfação de ser um campeão no amor e contar de peito estufado todas as proezas que fez e faz para sua amada tendo a satisfação de ser o melhor para uma pessoa. Merecemos ser apresentadas para a família de nosso eleito, como um troféu que apenas os melhores do mundo tem, sermos admiradas com brilho nos olhos e no coração. O grande dia da consagração da relação pode ter até tapete vermelho e lágrimas de emoção, serão bem-vindas.


Só não vale querer montar um acervo de mulheres conquistadas, o interessante seria ter um prêmio na estante para cada momento marcante que tivéssemos com nosso escolhido, aquela viagem bacana, um presente surpreendente, um jantar feito com carinho. Então, brincadeiras a parte, digo sem medo de errar: Eu quero sim ser mulher troféu (cinturão)!

Autora: Laine Ferreira