16 agosto, 2016

As palavras de Anchieta- Deusa (misteriosa ) da vida


Estava a ser difícil! 
Nunca me tinha visto numa situação tão complicada, em que a minha vida ficasse como um verdadeiro carro mal parado no meio da estrada, e todos os meus sonhos a afundarem-se no fundo do mar, deixando-se escapar repentinamente das minhas mãos. Eu não sei nadar. Então que se lixe tudo. Eu vou acabar com a minha vida...vou atirar-me para este rio.
Disse eu enquanto esbatia o meu cigarro, para voltar a pô-lo na minha boca. Estava completamente em baixo. Nunca, nenhum homem me tinha levado até tal ponto. Nunca me tinha sentido sem chão, pelo facto de alguém ter saído da minha vida.
  É simples. Aprenda a nadar e vá buscar esses sonhos que se estão a afundar! Ouvi uma voz atrás de mim, enquanto ela se aproximava rodando a sua cadeira de rodas. 
Sabes tu o que estou a sofrer? A minha vida já não faz sentido! Sentido nenhum mesmo. Respondi com uma voz já mais alterada. Aprender a nadar? Eu sempre corri atrás dele!  Continuei atirando o cigarro para o rio ao qual apreciava. 
Correr! Quem me dera poder correr!  Disse ela, esbanjando um sorriso sereno enquanto fechava os olhos, deixando a brisa tocar no seu rosto. E enquanto isso, o vento brindava aquele momento com um sopro no seu cabelo, fazendo com que este passasse pelos seus olhos alternadamente. 
E o que faz de ti uma pessoa tão de bem com a vida se não podes andar e nem correr? Perguntei eu envergonhada por ter estado a ser tão parva. Sim, parva. Era o que a postura dela indiretamente me dizia. Como se com uma chapada me dissesse: "Olha a sorte que tens e quanto podes ser feliz e deixa de ser parva. Cala-te e vá ser feliz". Eu calei-me e muito atenta ao que ela me fosse responder, ouvi:
Saber que faço parte deste mundo. E que tenho milhares de formas de ser feliz , um milhão de motivos para sorrir. E olha que um milhão, são só metade dos motivos que conheço. Os outros, ainda estou por descobrir.
É essa a grande beleza da vida, descobrir as várias formas de ser feliz, a cada dia, cada momento.
E agora diz-me

Vais ignorar as outras 999.999 formas que ainda te restam de ser feliz?

Autora: Vanessa Neto