30 agosto, 2016

Um convite para dizer adeus ao comodismo


O tempo passa e tu continuas no mesmo lugar- à espera que ele te mude e faça de ti um novo ser. Moldas-te a qualquer coisa e deixas-te estar. O tempo desafia-te e mostra-te que precisas com ele caminhar.


O tempo é tão ciumento, tão ciumento! Ai de ti que não caminhes de mãos dadas a ele, passará por cima de ti e desafiar-te-á. Escrever-te-á no teu próprio rosto, cada segundo que perdeste , e podias ter caminhado com ele. Bom é quando te olhas ao espelho no fim de tantos anos e dizes olhando para as tuas rugas: 
Não estive sempre no mesmo lugar, eu caminhei com o tempo, e fui atrás do que almejo.
Hoje o clima está nublado e vejo-te pela janela. Ignoras as horas e ficas como espectadora da tua própria vida. De sentinela.
Convidei-te   a mudar o roteiro, não para ganhares mais audiência, porque não precisas de espectadores na tua vida, precisas de quem está disposta a fazer parte dela. De espectadora só há tu, e já basta. Convidei-te a passar de espectadora à protagonista. Não tem nada a ver, pois não? Mas os espectadores as vezes também surpreendem. 
"Precisa-se de trabalhadores com ou sem experiência". De certeza que já viste este anúncio em algum lugar. Quem sabe essa tua falta de experiência como protagonista seja a tua grande descoberta! Também aceita-se, podes concorrer a protagonista da tua vida se ainda te fazes uma mera espectadora.
Sentaste-te e franziste o rosto ao ouvir o meu discurso em forma de convite, quase que interminável. 
Eu segui os teus passos até aqui. Andei atrás de ti. 
Encontrei milhares e milhares de sonhos no caminho por onde passaste. Abandonaste todos eles a meio do caminho, assim que conseguiste um trabalho. 
Choras todos os dias quando chegas a casa, e perguntas-te se alguém pegou naqueles sonhos que deixaste pelo caminho e está a realizá-los.
Levantaste-te bruscamente do banco, que se encontrava no meio dessa humilde aldeia, assim que começaste a sentir a chuva.



Fiquei contente. Saíste do comodismo. Sinal que estás viva! 



Ainda vais a tempo de fazer da tua história, uma grande história.
Faça-te viva.



Autora: Vanessa Neto