05 setembro, 2016

Quando a tempestade passa



Quando a tempestade passa leva com ela as juras e promessas trocadas;  as músicas e sentimentos vividos. As emoções são todas diluídas no vapor das nuvens carregadas e tudo segue um curso diferente. O nós torna-se em eu e o para sempre em lenda. As questões sobre como chegamos até aqui surgem em jatos fortes carregados de dor e incrédulos sentimentos, nos tornamos meros estranhos um para o outro. Que custa a acreditar que outrora trocamos algum tipo de afecto e dividimos sonhos. Porque chegamos a uma fase que a única coisa que pretendemos dividir são os bens materiais que construímos juntos, palavras afiadas são lançadas em toda a direcção e cada um se defende como pode porque a repulsa e a raiva tomam conta do cenário. E somos banhados por uma maré de sensações como a de vermos o nosso coração aos pedaços no chão e não ter vontade nem de querer junta-lo novamente,  o vazio deixado é insuportável e o medo do amanhã é de tamanho imensurável. Saber que acordarás e perceberás que a tua casa já não se encontra ai e não te abrigará novamente dos furacões da vida, o teu tudo agora não passa do teu nada. Como lidar com isso? Como fingir que já não se importa? Que já não quer ter por perto alguém que outrora era o teu tudo?  E agora apenas limito-me a sentar nos destroços da minha dor e ter uma visão ampla do estrago feito por essa tempestade que foi a minha vida amorosa enquanto espero que a minha a bonança chegue e o meu arco-íris se forme; porque assim como as águas arrastam os destroços da destruição causada pela tempestade as minhas lágrimas afastam de mim toda dor e sentimentos relacionados a nós.

Autora: Áurea Assíduo